| Home | Pesquisa avançada | Profissionais | | Hospitais | Laboratórios | Academias | Farmácias | Contato | Assinante |
Digite o nome, sobrenome, convênio ou especialidade, para encontrar o profissional que procura:
        ARTIGO SELECIONADO

                        HÉRNIA INGUINAL DA CRIANÇA      

      A hérnia inguinal é uma das patologias  cirúrgicas mais freqüentes da infância, estimada em um caso para oitenta crianças e que manifesta-se especialmente nos primeiros meses de vida, com o aparecimento de uma tumoração que surge ao choro na região inguinal .

       Pode ser uni ou bilateral, sendo mais freqüente  à direita , nos prematuros e nas crianças do sexo masculino. A causa é a persistência do conduto peritôniovaginal, presente durante a vida fetal e que oblitera-se normalmente  após o nascimento.  Sua abertura   pode permitir a passagem de órgãos abdominais, que podem direcionar-se para a bolsa escrotal. O diagnóstico é essencialmente clínico através do exame físico e a anamnese, dispensando qualquer exame complementar. Algumas vezes a víscera pode herniar e não reduzir espontaneamente, caracterizando uma emergência devido ao comprometimento vascular do órgão  herniado, pela compressão das estruturas adjacentes,  sendo este fato mais comum quanto menor for a criança e que deve ter atendimento imediato. Teremos assim a hérnia estrangulada e quando isto acontece, a tumoração inguinoescrotal  persiste, sendo dolorosa, havendo choro e irritabilidade. 

      A hérnia inguinal é de tratamento exclusivamente cirúrgico e realizada o mais breve possível, pelo risco de estrangulamento,  devendo ser feita  por especialista  devidamente capacitado com o  manejo da criança em todos os seus aspectos . O pós operatório é bastante tranqüilo, recebendo alta hospitalar no dia da cirurgia . O índice de recidiva é praticamente nulo.

Dr. Wilberto Trigueiro - Médico - CRM 871
Cirurgião Pediatra;
Título de especialista em Cirurgia Pediátrica pela AMB;
Coordenador da disciplina de Cirurgia Pediátrica do Curso de Medicina - UFPB.

Saudeaqui.com - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela DX3